Resenha - O garoto do cachecol vermelho - Verus Editora



Autor(a): Ana Beatriz Brandão
Editora: Verus
Páginas: 294
Ano de Lançamento: 2016
Gênero: Young Adult (Jovem Adulto)

Sinopse: Uma história comovente, recheada de drama, suspense e romance. Melissa é uma garota linda, rica e mimada, que sempre consegue o que quer e tem todos na palma da mão. Ela acredita que a carreira de bailarina é a única coisa que realmente importa, porém suas certezas são abaladas quando faz uma aposta com um garoto misterioso, que parece ter como objetivo virar sua vida de cabeça para baixo. De repente, Melissa se vê dividida entre dois caminhos: realizar seu maior sonho, pelo qual batalhou a vida inteira, ou viver um grande amor. Mas, não importa aonde ela vá, todas as direções apontam para o garoto do cachecol vermelho... Com esta história intensa e apaixonante, Ana Beatriz Brandão vai emocionar e surpreender o leitor, provando que é uma jovem autora que tem muito a dizer.

Quando comecei a ler O Garoto do Cachecol Vermelho tive a impressão, no início, de que era mais um daqueles romances onde alguém salva outro alguém que está à beira do abismo e iada iada iada. Como nunca me deixei levar por primeiras impressões e opiniões alheias, coloquei todo o meu foco nesse lindo, maravilhoso e esplêndido livro, que terminei de ler em dois dias, mais pelas minhas atividades que interrompiam minhas horas de dedicação e por não ter passado muito bem de saúde. 

A história nos fala de Melissa, uma garota um tanto egoísta, muito talentosa, que conhece Daniel, um talentoso e dedicado rapaz que usa um curioso cachecol vermelho. Comum? Em princípio sim. Garota encontra garoto que a irrita e depois se apaixonam. Não, não é só isso. Daniel consegue com seu jeito bem humorado fazer com que Melissa comece a olhar a vida por outro ângulo e perceber que se achar o centro do mundo, se vitimizar, é o que a torna tão infeliz. E ele faz com que ela perceba isso ao colocar a questão: Você está infeliz ou você é infeliz?
Melissa tem uma ambição: entrar para a escola Juilliard, uma escola de artes nos Estados Unidos. Para isso, ela treina muito sua dança. Ela é uma bailarina. Entre os treinos, a faculdade e as desavenças com Regina, sua mãe, a quem culpa por sua solidão, Mel se envolve em atividades que nem sonha participar, desafiada por Daniel: logo no primeiro dia de faculdade é levada até a Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica (ABRELA); depois, ele a leva para visitar crianças com câncer e assim vai. E suas vidas são modificadas em muitos sentidos e de maneiras surpreendentes.

O que me deixou realmente apaixonada por este livro foi a maneira como a autora abordou temas tão ligados à caridade e ao amor. Sim, muitos podem dizer que é uma utopia, mas se não houver um sonho, um desejo de ajudar, para que serviria o ser humano. Além do amor entre Dani e Mel há ali um recado para que nós, ditos seres humanos, sejamos menos egoístas e nos amemos mais.

Um dos momentos que mais tocaram minha alma foi a apresentação de final de ano na faculdade, onde Mel colocou todo seu coração em uma linda e comovente homenagem a Daniel.

Não posso e não devo falar mais nada. Gostaria que vocês lessem este livro, não apenas porque indico, mas porque se sentem curiosos a respeito dos passos a serem dados por todos aqueles que desejam ultrapassar uma existência fria, inútil e insípida. Leiam com o coração!

Onde encontro para comprar?

Cultura https://goo.gl/1pQobY
Amazon https://goo.gl/LFvQQu

Resenhista colaboradora Rita Flôres

Nenhum comentário