Crítica [Série] - Slasher (1ª temporada)



Título original: Slasher
Data de estreia: 4 de março de 2016
Gênero: Suspense, Terror, Mistério, Drama
Total de episódios: 8
Criação: Aaron Martin
Elenco: Katie McGrath, Brandon Jay McLaren, Wendy Crewson, Steve Byers, Dean McDermott, etc.
Emissora original: Super Channel
Exibição no Brasil: Netflix

A 1ª temporada de Slasher é bastante envolvente desde os primeiros episódios. O que acaba por enfraquecer o interesse de alguns telespectadores é a atuação de alguns membros do elenco. Ao meu ver, a maioria mostrou um desempenho muito satisfatório, considerando-se o fato de que são atores não tão conhecidos.

A trama conta a história de Sarah Bennett, uma mulher que há anos é perseguida pelos fantasmas de seu passado e trinta anos depois resolve voltar para pequena cidade onde seus pais foram brutalmente assassinados na noite de Halloween por um homem mascarado, conhecido como "O Carrasco". 


Ao retornar à pacata cidade de Waterbury com seu marido Dylan, situações estranhas começam a acontecer com todos próximos a Sarah, de forma que você passa a desconfiar de cada um dos personagens. O mais interessante é que o legítimo assassino, Tom Winston, está preso e Sarah passa a fazer visitas frequentes tentando de alguma forma fazer com ele exponha os reais motivos para ter cometido um crime tão terrível.

Este homem é o responsável por ter arrancado Sarah da barriga de sua mãe a sangue frio e tê-la deixado órfã, sendo criada por sua avó.


Se você tem um passado tão cruel: você volta para enfrentá-lo, e assim esquecê-lo? Ou simplesmente tenta fugir de tudo? Sarah optou por enfrentar sua crise existencial e os fantasmas que tanto a atormentam. E nós percorremos essa jornada com ela e seus amigos, ou talvez nem tão amigos assim.

Afinal, se Tom Winston está preso...quem está causando o caos na pequena cidade?

"O Carrasco" volta a praticar crimes incansavelmente, todos eles relacionados ao que biblicamente chamamos de pecados capitais. Ele não só mata suas vítimas, como escolhe cada uma delas a partir de uma motivação, que faz com que, de acordo com o seu ponto de vista, mereçam a morte a que estão sendo destinadas. Descobre o passado dessas pessoas, julga e dá a sentença.

Se eu tivesse que estabelecer algum tipo de comparação com outros filmes de terror e suspense, diria que a inteligência das mortes se aproxima do que Jogos Mortais propõe e que um assassino mascarado está inspirado em diversos filmes como Um Grito Embaixo D'água, Eu sei o que vocês fizeram no verão passado, Pânico, dentre muitos outros. Mas confesso que a série me surpreendeu demais e não gostaria de reduzi-la a uma simples comparação que muitas vezes pode ser um tanto infeliz.

Bruna Brezolini

Nenhum comentário