Entrevista com Josy Stoque


O primeiro livro da carreira de Josy Stoque foi a saga sobrenatural Os Qu4tro Elementos, traduzida para o inglês pela AmazonCrossing. Ela escreveu também Insensatez, em parceria com Gisele Galindo; Estrela; a trilogia Puro Êxtase, sucesso de vendas na versão digital; o romance erótico-policial Não Espere pelo Amanhã, que se tornou best-seller da Amazon; e Eu Nunca, com Mila Wander, um dos mais vendidos da Veja Online. Josy é pisciana, sonhadora e, claro, viciada em livros. Tanto que a sua gatinha tem nome de personagem: Tris. Ah! Ela tatuou os 4 efes da protagonista de Puro Êxtase, para nunca se esquecer de viver intensamente.


Você sempre leu bastante antes de se tornar escritora? Quais são suas obras favoritas de outros autores (nacionais e internacionais)? Sempre temos essa curiosidade sobre as pessoas que admiramos.
Ler e escrever sempre estiveram em paralelo na minha vida. Na verdade, eu comecei a escrever antes de gostar de ler. Eu era tímida e romântica, expressava meus sentimentos melhor através de palavras. Então, assim que aprendi a escrever, já escrevia. Comecei com versos, depois poemas, músicas, crônicas, até chegar ao romance na adolescência, na qual realmente peguei gosto na leitura ao estudar a história da literatura e ser apresentada aos clássicos. Eu não tenho obras favoritas, mas tenho autores que sempre vou ler assim que lançarem algo novo. São eles: Sidney Sheldon, Dan Brown, Stephenie Meyer, Jane Austen, Danilo Barbosa, Mila Wander, Vanessa Bosso e Carina Rissi.

Qual foi o primeiro passo que você deu para entrar no mercado literário? Nós, leitores, ficamos felizes por você ter acreditado em seu talento inicialmente, pois se isso não fosse dessa forma, não teríamos sido agraciados com suas obras.
Entrei para as redes sociais e comecei a divulgar o primeiro livro profissionalmente, que ainda estava escrevendo. Houve uma grande comoção no meio literário sobre a obra, o que me incentivou e muito a seguir em frente.

Meu cantinho favorito para escrever é…
Não existe, não, eu escrevo em qualquer lugar. Basta ter inspiração.

Qual livro que você escreveu é o seu preferido e por qual motivo?
Impossível escolher. É como escolher entre seus filhos. Mas posso dizer que meu favorito é sempre o último escrito, porque mostra a minha evolução como autora. Um livro novo sempre é melhor que o anterior. Espero continuar assim.

Se você olhar para toda a sua trajetória como escritora até aqui, você diria que seu maior desafio foi…
Ser lida. E ainda é. Esse desafio nunca tem fim. A cada livro tenho o mesmo trabalho: fazer com que os leitores se interessem pela história e leiam.

Quais são os seus conselhos para quem quer seguir a carreira de escritor?
Leia muito, estude o português, revise o quanto for preciso e não tenha medo de reescrever se achar que ainda não está bom o bastante. Seja autocrítico, mas também aprenda a ter confiança de mostrar seu trabalho ao mundo. Para ser um bom escritor, você precisa escrever e não lançar. Às vezes é preciso ter alguns rascunhos antes de estar pronto para publicar. Seja paciente.

Você pode nos contar um pouquinho dos seus planos para o próximo ano?
Nossa, confesso que estou um pouco perdida quanto a isso. Normalmente, eu sei exatamente o que vou fazer, no entanto, dessa vez tenho algumas dúvidas. A única certeza, por enquanto, é que vou escrever e publicar de maneira independente meu primeiro young adult (é um romance futurista que estou com a ideia há muito tempo). Em janeiro, a Rico Editora vai lançar em formato físico o livro Não Sonhe com o Amanhã, o mais esperado da série (que não é continuação de Não Espere pelo Amanhã). E na Bienal de SP, a Astral Cultural vai lançar meu romance erótico inédito O Mago. Por enquanto, é isso que eu tenho certeza.

O que você considera mais gratificante na profissão de escritor?
Os comentários dos leitores. É lindo ver como uma história pode mexer com as pessoas. Minha literatura não é só para entretenimento, mas também tem um monte de ensinamentos para vida, que eu amo compartilhar.

Frase que me dá forças quando preciso...
Eu consigo!

Existe alguma temática que seja recorrente em seus livros? Se sim, isso é casual ou feito por algum motivo específico?
Sexo e empoderamento feminino. Sexo foi natural. Gosto de escrever histórias adultas, então, sexo faz parte da vida. Empoderamento surgiu quando eu mesma me empoderei e hoje uso meus textos para ajudar outras mulheres a se empoderarem também.

Você se identifica muito com algum de seus personagens? Qual deles e quais seriam essas características em comum?
Com várias. Principalmente as mais loucas e liberais, como a Sara, de Puro Êxtase, e a Pauline, de Eu Nunca. Gosto de ser autêntica, como elas, e também não tenho vergonha de ser quem eu sou, ou de ir atrás do que quero ou acredito. Elas também me ensinaram muitas coisas, como acreditar em mim mesma, correr atrás dos meus sonhos e não perder minha essência no meio do caminho, por causa dos percalços da vida.

Tome um de seus livros como referência e tente nos contar como foi o seu processo de escrita.
Complicado, cada livro tem o seu próprio processo. Mas, no geral, eu tenho a ideia e a anoto, porque sempre estou trabalhando em outra história no momento. Quando pego para trabalhar nela, faço uma pesquisa geral para começar a elaborar o enredo, e defino ao menos começo, meio, clímax e fim. Com isso pronto, só preciso decidir o tom da narrativa antes de realmente sentar e escrever. O começo é sempre mais lento, porém, lá pelo meio, quando me aproximo do clímax, a história normalmente me traga e eu termino o livro na velocidade da luz, ansiosa demais para vê-lo pronto. Ao concluir, faço uma leitura continuada, para pegar possíveis erros, e publico, se for independente, ou mando para meu agente/editora, se tiver contrato.

Sei que hoje em dia podemos acompanhar muito da vida dos nossos queridos autores principalmente em aplicativos como Insta Stories. Mas adoraríamos saber através das suas palavras, quem é você no dia a dia?
Eu não uso o Stories (risos). Uso mais o Facebook, porém, falho miseravelmente em contar minha vida todo dia, principalmente, quando uma história me traga a ponto de eu esquecer do resto do mundo. Mas sou, sim, bem presente nas redes sociais e respondo a todos os comentários de leitores.
Bem, falando um pouco sobre mim: adoro ir ao cinema com minha melhor amiga para ver estreias imperdíveis de filmes mais esperados, também amo comida japonesa, meu vício, assim como a academia. Treino à noite, no último horário, e sou superfocada, faço dieta e me esforço para manter um bom ritmo de exercícios (comecei a treinar porque era muito sedentária e sentia dores terríveis pelo corpo por passar horas sentada na frente do computador. Hoje tenho uma qualidade de vida excelente!). Acompanho muitas séries, sou dessas que maratonam na Netflix quase todo fim de semana, e tenho uma lista infinita (física e virtual) de livros impossível de terminar de ler, assim como todos os leitores. Frequento o clube do livro na minha cidade, porém, quase nunca consigo ler o livro proposto (sou dessas! Kkkkk, mas eu vou para me reunir com a galera que, como eu, adora livros, filmes e séries, e bater muito papo, tomar uma, sair para comer depois, ou seja, vida social!). E, de vez em quando, arranjo um namoradinho. Não é meu foco no momento (para quem não sabe, sou divorciada), estou concentrada em minha carreira.

Gostaria de deixar uma mensagem para seus leitores? Fique à vontade.
Obrigada, seus lindos, por tornar minha carreira real e sólida. Sem vocês, lendo meus escritos, jamais teria realizado o sonho de escrever profissionalmente e até largar a publicidade para ser escritora em tempo integral. Continuem me incentivando, lendo e comentando minhas histórias, que prometo continuar escrevendo mais e mais livros para vocês. Amo demais e sou muito feliz com nossa relação, que espero que seja eterna. 
Um beijo no coração.

Somos muito gratos pela oportunidade de recebê-la no Blog PontoComCultural!




Nenhum comentário